Avalanche do Humor: Historias Reais do Cotidiano

Historias Reais do Cotidiano

Atualmente estamos apenas com 4 escritores, porem tecnicamente toda Quarta-Feira ficaríamos sem postas, porem para não deixar ao vento irei postar “Historias Reais do Cotidiano”, que será quando irei abordar uma historia (sempre como primeira pessoa) que tenha acontecido comigo ou com um amigo.
Como abertura desse post irei contar a historia de meu amigo Luis Henrique e a:

LOIRA DO ÔNIBUS
Estava eu prestes a mais um dia de abuso e sofrimento no meu humilde trabalho como minerador de uma Mina de Carvão. Peguei o Ônibus 003 (pois é o que possui a menor taxa de assalto aqui na cidade).
Tudo se encaminhava a mais um dia como qualquer outro, eu sentado na terceira fileira, uma menina com uma cicatriz no olho na minha frente e um Senhor que parecia uma das criaturas que morava na Mina de Carvão à frente dela (contando claro com Gerisvaldo o trocador viado). Eis então que me entra ela, a criatura mais graciosa que o bom Deus já desenhou:

Essa é ela, olhando para mim

Após receber R$ 2,55 do trocador por freqüentar o ônibus ela avaliou todas as opções de lugares disponíveis, e entre o dublê do Smigol, a menina com uma deficiência nos olhos ela surpreendentemente escolheu a minha pessoa.

 Essa é ela, procurando um lugar no onibus

Quando ela se sentou eu fiquei em posição de sentido, estufei o peito e enrijeci o corpo. Sabia que tinha de começar um assunto, falar algo com ela foi então que brilhantemente eu bolei um assunto, eu virei e disse
- Oi! - E ela me respondeu
- Ola!
 Consegui, eu sou um gênio, agora ela esta obrigado a conversar comigo devido ao código de ética civil imposto pela sociedade brasileira.
Devido a todo meu charme e odor de um trabalhador da Mina de Carvão ela se fazia de difícil para me deixar mais afim ainda, e foi bem no momento que iria começar a falar sobre Reprodução de Elefantes Homossexuais que ela se levantou rumo à saída do Ônibus.
Algo me diz q ela e todos do ônibus perceberam quando olhei pra ela quando ela estava saindo. Talvez fosse por dois projetos de gente conversando sobre isso ou quando eu comecei a cantar “Baby y Love you”, o que importava mesmo é que agora ela tinha saído e nunca mais a veria novamente.
OBS: Assim q ela saiu fui assaltado duas vezes (mas contando q um bandido havia ficado na mesma ala de quarentena que eu somente me roubaram uma vez).

2º Encontro
Nosso segundo encontro foi estragado por John Oni Buss, se você não o conhece você é um ignorante, já q ele foi o responsável por criar o meio de transporte mais utilizado, o Ônibus.
Ele também criou a porta de saída do meio do Ônibus, deixe-me explicar melhor. La estava eu sentado no fundo do ônibus voltando de um dia exausto do trabalho (haviam descoberto carvão na mina, veja só q alegria foi) quando ela me aparece. Sem opções de banco ela é obrigada a sentar na frente, separada de mim, ela obviamente ficou chateada com isso.
Eu não desanimei, peguei meu celular e fiquei filmando a saída, na expectativa de filmá-la para colocar uma foto no meu Orkut com a legenda “TO PEGANDO”.
Porem devido a John Oni Buss ela saiu pela porta do meio (que até hoje não descobri qual sua finalidade dentro de um ônibus) e não pude filmá-la.

2 comentários:

Moderador disse...

First em ouvis a historia!
First coment!

Luis disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. A história ficou muito fiel a original! =D

Postar um comentário